Você se pergunta porque os povos do mundo estâo em guerra em busca de seus direitos. Povos, raças, grupos de todos os matizes, todos estâo lutando com unhas e dentes por seus direitos.

Em 1964 um ministro norte americano, William Branham, chegou a uma conclusâo, na qual esta midia concorda: as cartas em apocalipse (2-3) às Igrejas da Ásia eram proféticas e se referiam a períodos de tempo pelo qual a igreja passaria e segundo o ministro, a ultima carta, a de Laodicéia, representaria esta era moderna na qual vivemos.

Quando vocês veem o povo nas ruas, manifestando-se, lembre-se - estamos vivendo a ultima era da igreja: Era de Laodiceia, que significa a Era dos Direitos dos Povos

Arquivo do blog


Russia Versus Israel

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Um canalha em busca de fama, nobel da paz e presidencia americana à custa de Israel

RABINOS AMEAÇAM KERRY COM "IRA DIVINA"

Nada satisfeitos com a "traição americana" tele-comandada por Obama e "empurrada" pelo secretário de estado John Kerry, um grupo de rabinos de Israel denominado "Rabinos do Comité para Salvar a Terra e o Povo de Israel" enviaram uma carta a John Kerry no passado Domingo, avisando-o que pare com o seu "antagonismo" contra Israel.
Os rabinos censuraram asperamente Kerry pelo seu plano de estabelecer uma capital árabe em Jerusalém para a Autoridade Palestiniana e por querer que Israel recue para as fronteiras anteriores a 1949. No passado Sábado, Kerry ameaçou Israel com um boicote internacional no caso de as conversações falharem, além de insinuações ameaçadoras de uma "Terceira Intifada" feitas já anteriormente.
"Os seus incessantes esforços para expropriar partes integrais da nossa Terra Santa para entregá-las à gangue terrorista do Abbas significam uma declaração de guerra contra o Criador e Governador do Universo. Pois Deus designou toda a Terra de Israel aos nossos ancestrais Abraão, Isaque e Jacob, de forma a que a deixassem em legado, como herança eterna aos seus descendentes, o povo judeu, até ao término dos tempos" - assim reza o início da carta escrita pelos rabinos.

ORAÇÕES CONTRA O PROCESSO DE PAZ

Já há uma semana atrás milhares de judeus reuniram-se junto ao Muro para orarem contra o chamado "decreto Kerry."



AMEAÇAS À SEGURANÇA DE ISRAEL
Alertando sobre a iminente ameaça à segurança que os planos de Kerry traria aos israelitas, e mencionando o exemplo de Gaza que se transformou numa autêntica "rampa de lançamento" de rockets, os rabinos criticaram o plano por este representar a "imediata retirada de 20% dos judeus actualmente vivendo produtivamente na Judeia, Samaria e no vale do Jordão."
A carta afirma ainda que o plano de Kerry "forçaria dezenas de milhar de judeus a serem retirados à força de suas casas e bens, arruinando-os financeira, económica e psicologicamente, tal como aconteceu com os que foram expulsos dos prósperos aldeamentos em Gaza, estando ainda a maior parte deles sofrendo desses traumas."

A MALDIÇÃO CAIRÁ SOBRE OS INIMIGOS DE ISRAEL
Citando a História judaica, a carta declara a Kerry: "Se continuar neste caminho destrutivo, irá assegurar a sua desgraça eterna na História judaica, por ter trazido calamidade sobre o povo judeu - tal como Nabucodonozor e Tito, que destruíram o primeiro e o segundo Grande Templo e toda a Cidade santa de Jerusalém e que, por punição divina, trouxeram desastre sobre eles próprios também."
E a carta ameaça: "Pelo poder da nossa Santa Torá, nós o advertimos a que cesse imediatamente todos os esforços para levar a cabo esses acordos desastrosos - de forma a evitar uma severa punição divina sobre todos os envolvidos."
A carta terminou com uma referência ao próximo feriado judaico da Festa do Purim, em que o Livro de Ester relata os planos genocidas de Hamã contra o povo judeu, mas que se voltaram contra ele, acabando enforcado com a mesma corda que havia preparado para Mardoqueu, o judeu. 

ARROGÂNCIA AMERICANA
O arrogante John Kerry, entretanto, já se pronunciou contra as críticas e ameaças israelitas, afirmando que "não se deixará intimidar" e que "já foi atacado com balas no passado, por isso não será intimidado por palavras."
As "maldições rabínicas" valem o que valem, mas a verdade é que quando o recém falecido ex-primeiro-ministro Ariel Sharon mandou retirar à força os "colonos" judeus da Faixa de Gaza, os rabinos rogaram uma maldição sobre ele, e passado muito pouco tempo Sharon entrou num coma irreversível que durou até à sua morte.
Pessoalmente, não queria estar na pele de John Kerry, muito menos na do Obama...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...